FORMAÇÃO GLM (ENGENHEIROS DO HAWAII): ELES SE DAVAM BEM? | Conexão Legiônica 015



#EngenheirosdoHawaii #Enghaw #HumbertoGessinger

Este vídeo é o primeiro de uma série de 3 que farei sobre a relação entre Humberto Gessinger, Augusto Licks e Carlos Maltz (Engenheiros do Hawaii). Na parte um, conto o início desta formação até a turnê de “Ouça o que eu digo: não ouça ninguém”.

| CAPÍTULOS |
00:00 Intro
01:16 Saída de Marcelo Pitz
03:01 Entrada de Augustinho Licks
05:58 Começam as tensões
09:24 O que deu na imprensa
11:26 Fase do “Ouça o que eu Digo”

source

38 comments

  1. engenheiros só rendeu mesmo no fim dos anos 80 de pois já nos anos seguintes foi ladeira a baixo e hoje é uma banda de alguns hits mas relevancia alguma pra cena … sinceramente acho mais facil esses videos seus alcançar mais pessoas do que a banda conseguiu !!!

  2. Imagino que você tentou entrevistar o Alexandre Master, que foi o técnico de PA deles, desde a turno de 1986, do disco 'Longe Demais…' até a volta do Humberto pra Porto Alegre em 1996 (Ele ficou no Rio de Janeiro, mas acho que continuou a trabalhar esporadicamente com o Humberto). Conheci ele há uns 15 anos já como técnico free lancer e ele sabe muito sobre a banda nos palcos, no estúdio e em ensaios, só não sei se ele estaria disposto a abrir o jogo e contar ao menos uma parte do que viu e ouviu. Enfim, obrigado pelas postagens. 

    6:00 -o fato de Humberto nunca ter falado verdade pro Licks, não ter dito que Pitz tava fora, e que ele Humberto ia pro baixo, Augusto assumiria as guitarras e banda continuaria um trio, já demonstra subterfúgio, falta de transparência e até de caráter da parte do HG. 

    Pois Augustinho deixa subentendido no livro que achava que tinha sido chamado pra banda, para que ela virasse um quarteto com duas guitarra. Humberto foi muito interesseiro, egoísta e utilitarista com o Licks já no instante zero.
    A fato é que talvez se Humberto fosse honesto de saída, Augustinho nem tivesse aceitado o convite, afinal porque haveria Pitz ter deixado a banda após um disco de estréia de sucesso, com hits, que vendeu bem e gerou 'disco de ouro', algo que por si indicava um começo auspicioso e uma promissora carreira pra banda? Ou seja aquele ato inicial já era um 'sinal de alerta' de que, como disse o 'ídolo' Roger Waters em 'Sheep', '''things are not what they seem.' (as coisas não são o que parecem).

  3. Em resumo, o guitarrista Augusto Licks é um dos maiores do nosso país junto com Edgar Escandura. Ele não fez a leitura correta do ambiente que se encontrava. O Gessinger é o líder de uma manda que deu certo e tava bombando, portanto tinha que ficar na dele " capitalizando "…

  4. Cara, imagino não ser nada fácil conviver como músico numa banda com um líder centralizador. Todo mundo tem seu lado "fascista", palavra pessimamente utilizada hoje pra designar quem pensa diferente de vc…
    … e o fascismo é fascinante e deixa gente ignorante fascinada…

  5. Ego, vaidade e muita imaturidade, né. Quem já passou dos 40 sabe o que é ter menos de 30. Mas no caso deles, me parece, pra piorar, que se trata de três personalidades difíceis mesmo.

  6. Júlio meu caro, parabéns pelo canal. Tô curtindo muito. Vê por favor, se você consegue expandir um pouco mais o cenário musical brasileiro. Se não for pedir demais gostaria muito que você falasse da banda pernambucana e verdadeiro "cientista e arquiteto" da música Chico Science e nação zumbi. Obrigado! Um forte abraço.

  7. Meu amigo, você quer falar de banda de rock? Saia do Brasil, achar que existe rock aquí é o mesmo que achar que têm girafa na amazônia! Legião urbana e etc, são uns arremêdos de grupinhos! Sou músico bem antes de você nascer, sei o que estou falando! Está muito chato você falar dessa bandinha! Abraços.

  8. Não sou um grande fã dos Engenheiros, gosto de algumas músicas…porém…a postura do Licks era bem legal, diferente, concentrado. Sempre me chamou atenção pq o mais esperado de um guitarrista é aquele lance de fazer pose…

  9. Fui um previlegiado em fazer parte da multidao "na geral" (proximo ao palco) dos lotados shows dos EH. Aqui em FOR em out.88 Revolta… boate Hipopotamus (palco a 1m de altura, baixo creme Rickbecker e guitarra preta Les Paul), 04.mai.89 Ouça… Gin Paulo Sarasate, 14.jul.89 Alivio… Cumbuco Rock (mesma noite com a Plebe Rude), jan.90 O Papa… Espaco Cultural, em 1991 Varias… e o lancamento do GLM 1992 Gin Paulo Sarasate. Meu Deus foi muito boa aquelas decadas 80s e 90s. Fora as apresentacoes deles no Globo de Ouro, Jo 11:30, Babilonia (RJ), Domingao…, Milk Shake, C** Shop Show etc Entao jovens!!!! consumam o que é de qualidase cultural. Ainda tem muita gente legal para se curtir. Aproveitem a vida com responsabilidade pq hj esta mais desafiador do que nas decadas passadas. Abraco a todos

  10. O que achei mais sinistro foi a fala do Humberto: "Eu não posso ter amigos!" e não vi ninguém comentar. Gostaria de saber as nuances por trás disso. Ele realmente não tinha amigos? Era o típico nerd isolado em seu quarto? Tinha dificuldades em fazer amizades pelo alto intelecto ou timidez? Gostava da solidão? Arrogância?
    Eu realmente queria saber mais sobre isso…

Leave a comment

Your email address will not be published.